Promoção!

O Amor Louco

11,25 3,00

O Amor Louco , obra luminosa sobre o amor, foi escrito por André Breton entre 1934 e 1936, no apogeu do Surrealismo. Como em Nadja, escrito em 1928, relata de forma sublime as experiências e coincidências vividas por Breton, que acabarão por o encaminhar para aquela que viria a ser a sua mulher, Jacqueline Lamba, e que é o centro e a musa inspiradora do romance. A construção do livro é feita de situações vividas pelo autor, de sonhos fantasmagóricos, de rupturas narrativas intercaladas por fotografias e poemas, um deste premonitório, divagações reflexões. Breton descreve o amor através da sua própria vivência, vendo neste dois aspectos: o amor como «comunicação do coração» e o amor carnal, ao qual chama «convulsivo». Esta separação entre o corpo e o espírito quer Breton transformá-la em união total, em paixão, nesse famoso «amor louco» que é para Breton o amor mais sábio, mais sublime, que a alma do homem poderá alcançar. Termina esta obra com o texto seguinte, dedicado a sua filha e de Jacqueline: «Afastar-me para longe de vós! Revestia-se para mim da maior importância ouvir-vos, por exemplo, responder, um dia, com toda a inocência, a essas perguntas insidiosas que as pessoas crescidas fazem ás crianças: “Com que é que se pensa, com que é que se sofre? Como é que se soube o nome do sol? De onde é que a noite vem?” Como se elas próprias o soubessem! Já que, para mi, sois a criatura humana em toda a autenticidade, deveríeis, contra tudo o que é previsível, ser vós mesmos a ensinar-mo… Gostaria de saber-vos loucamente amada.» Belíssimo.

Em stock